Juno

Primeiramente, quem é Juno? 
Bem, a resposta é simples. Juno é toda e qualquer mulher que seja simples, agradável, que tenha ciúmes, que tenha paranóias, que tenha crises, que ame, que odeie, que seja normal. Mas Juno também tem um nome em minha vida, porém a dona da inspiração prefere manter-se afastada do personagem.

E Miguel? Quem é?
Miguel sou eu, você, ele, Júpiter. Miguel é o nome que escolhi para encarnar Fernando nessa série de contos. Miguel é um nome que eu e Juno gostamos muito, é um nome que ambos querem dar para os filhos que um dia possam vir a ter, mesmo que não sejam filhos do casal envolvido na trama.

Por que a série Juno é tão repetitiva?
Porque eu sinto só uma coisa ao escrever sobre Juno: Carinho. Ninguém é obrigado a ler, ninguém é obrigado a entender que eu gosto dela e da situação como está, ninguém precisa saber que se ela estalasse os dedos, eu tentaria fazer dar certo, da mesma forma que ninguém precisa saber que eu jamais tentaria tocá-la sem a sua autorização.
Tudo que sai quando penso nela, pode ser parecido, por que os sentimentos não mudam do dia pra noite.

Por que Juno é sempre ilustrado por frutas?
Porque eu gosto de frutas e ela também, oras. Mas também porque sonho em encontrar-me com Juno em um pomar desses bem exóticos. Acho que ela gostaria de sentir o aroma das frutas mesclado ao ar.

Por que você não toma coragem e vai atrás dela ao invés de escrever essas bobagens?
Não queremos, somos apenas amigos.

Por que você perdeu tempo explicando isso?
Porque Juno é especial, merece atenção especial e porque tem gente que fica me perguntando demais.


Índice:

    Blogger Comment
    Facebook Comment